Ítalo Calvino e a Ciência Econômica

Na produção de Ítalo Calvino, um conceito dominante é a distinção entre abertura e fechamento. Já é hora desse conceito ser trazido à Ciência Econômica. O horizonte de novas possibilidades sugere como o interesse econômico é elemento da intertextualidade de linguagem. Se aceitarmos que a fundamentação da teoria do situacionismo tenha préstimo, admitiremos que a…

Curso de Economia: Por que não se fazem mais “Celsos Furtados”?

Em sua última coluna na revista Carta Capital, o professor Vladimir Safatle escreveu um simpático artigo sobre Celso Furtado. Chamou-o de “o brasileiro do século”. Ver o artigo aqui.   Alguns poderão achar que tal distinção é um exagero, dado que poucos dos insights teóricos de Furtado parecem ter sobrevivido na literatura “moderna” da disciplina —…

Correlações espúrias

Os exemplos abaixo mostram porque o R-quadrado de uma regressão não significa muita coisa. E porque Econometria não faz sentido sem Economia. Correlação entre gastos com ciência/tecnologia e suicídios por enforcamento, estrangulamento e sufocamento nos Estados Unidos = 0.99. Correlação entre consumo per capita de queijo e mortes causadas por amputamento nos Estados Unidos =…

Pesquisa de economista brasileiro sobre evolução de habilidades cognitivas e não cognitivas na infância recebe prestigioso prêmio

  Trabalho de Flávio Cunha (Univ. of Pennsylvania) em co-autoria com James Heckman (Univ. of Chicago) e Susanne Schennach (Univ. of Chicago) recebe Medalha Frisch da Econometric Society (ES). A Econometric Society existe desde 1930 e é responsável pela edição de um das mais importantes revistas da área de economia. Sobre o prêmio: The Frisch…