Economia comportamental no mercado de carros usados

Não é incomum observarmos preços terminando em 99 centavos — por exemplo, R$15,99 ao invés de R$16,00. Bruno Giovannetti escreveu um post há algum tempo, levantando esse ponto para o preço do combustível (que em geral tem mais um dígito, como R$2,899). Uma explicação comportamental para isso é que as pessoas prestam mais atenção nos…

Neymar e a produtividade brasileira

As diferenças de produtividade entre países são gigantescas. Isto é, com uma mesma quantidade de insumo, países ricos geram muito mais produto que países pobres. Mas o que está por trás disso? Uma possibilidade é que as quantidades observadas de insumo não reflitam exatamente as quantidades efetivamente empregadas na produção. Por exemplo, nos países ricos,…

Pobreza e escola pública: o pesadelo de Einstein

Economistas da área de desenvolvimento sempre foram fascinados pelo que chamam de “armadilha da pobreza” — um círculo vicioso que condena economias a persistirem no subdesenvolvimento. Há todo uma família de modelos econômicos tentando reproduzir esse tipo de dinâmica perversa. Os mecanismos são os mais variados: falta de crédito, escassez de oportunidades de diversificação de…

“Privatização dos Presídios”: theory

BG said to be in favor of PPP for prisons in his post, because of government’s scarce resources. He didnt touch on the most important issue, though. And, by the way, the lack of revenues argument is actually wrong since resources spent on prisons are resources non-spent elsewhere always, independently from the identity of the…

Dar o peixe ou a vara de pescar? Experimento sobre como o crédito pode reduzir a pobreza

Ter um emprego é importante. Fora a questão óbvia de que isso evita que o sujeito viva em condições de miséria, ter um emprego ajuda, em geral, a dar uma sensação de que contribuímos em alguma medida para a sociedade em que vivemos. Mais do que isso: quando se trata de indivíduos jovens, ter um…

Por que as mulheres ganham menos do que que os homens? Uma explicação “comportamental”

Há tempos que os economistas estão interessados em entender o porquê das mulheres ganharem menos do que os homens mesmo em ocupações equivalentes — há uma extensa literatura empírica sobre o tema que data (uma revisão da “1º geração” dessa literatura pode ser vista aqui e aqui; evidência empírica recente pode ser vista aqui e aqui). O gráfico…