Anomalias – O caso da Gratuidade do Ensino Superior

Uma política pública, ou a “arquitetura” e funcionamento de uma da instituição, é anômala se ela desviar do que é prática comum em vários países desenvolvidos e, adicionalmente, não gozar de suporte teórico/empírico na literatura econômica científica [ver “árvore de decisão” na figura abaixo ilustrando isso].   “Racionalizar” essa política/arranjo institucional é, portanto, difícil e…

Gastos com educação e saúde: dois problemas de incentivo

O orçamento público brasileiro é bastante engessado, cheio de vinculações. Por exemplo, de acordo com a Constituição, o governo federal tem que gastar pelo menos 18% de sua receita em educação, enquanto que para estados e municípios esse valor é de 25%. Com a necessidade de realizar o ajuste fiscal, cogita-se quebrar essas vinculações. Há…

FIES: Quando vale a pena?

Recentemente uma matéria do Estadão – no blog Estadão Dados – recebeu o prêmio Esso de jornalismo, por expor a impressionante expansão dos gastos com o FIES nos últimos anos, sem uma elevação correspondente no número de alunos matriculados em faculdades privadas. Isso indica que alguns alunos já matriculados (e, portanto, pagando mensalidade) estão migrando…

Os entraves ao desenvolvimento

Longa, mas muito boa entrevista de Otaviano Canuto (Banco Mundial) sobre os entraves ao desenvolvimento da economia brasileira: política comercial, qualidade educacional, gestão do setor público, barreiras burocráticas etc. E ainda tem gente que acha que o câmbio é mais importante para o longo prazo do que todas essas coisas. (Agradeço ao Gabriel Madeira pela…

Por que automóveis são tão caros no Brasil?

O UOL fez uma comparação interessante entre preços dos carros produzidos no Brasil, e que não são apenas vendidos aqui, mas também exportados para o México (veja aqui). Esses veículos fazem parte do acordo comercial entre os dois países no setor automobilístico. E o preço tende a ser mais alto aqui. Por exemplo, a Chevrolet…