Curso de Economia: Por que não se fazem mais “Celsos Furtados”?

Em sua última coluna na revista Carta Capital, o professor Vladimir Safatle escreveu um simpático artigo sobre Celso Furtado. Chamou-o de “o brasileiro do século”. Ver o artigo aqui.   Alguns poderão achar que tal distinção é um exagero, dado que poucos dos insights teóricos de Furtado parecem ter sobrevivido na literatura “moderna” da disciplina —…

Details

The Future

Antoninho said he is coming back to Brazil. Marina is going to be president. Gianettti wont be minister. He enjoys his creative leisure immensely, not willing to give it up. Fiscal policy will be tightened, monetary policy too, albeit less so. “enviromental requirements’ bar” will be set higher, but procedures and regulatory mayhem simplified, leading…

Details

O Pastor e as Ovelhas da “Nova” Direita Liberal

O Jornal Nacional tem feito uma série de entrevistas com candidatos à presidência. Ontem, os apresentadores do programa entrevistaram o Pastor Everaldo. O vídeo com a entrevista pode ser visto aqui. Ceticismo Embora seja um candidato de pequena expressão sem chances de vitória, a candidatura do Sr. Everaldo chama atenção por duas razões relacionadas. Primeiro…

Details

Economia do trânsito: quando menos informação é mais

Informação importa. E faz tempos que economistas dão tremenda importância a ela — uma agenda que começou nos anos 70 com os trabalhos de George Akerlof, Michael Spence e Joseph Stiglitz e que cresceu enormemente nos 30 anos seguintes.   Sabe-se hoje que entender os processos de divulgação e aquisição de informação é requisito crucial para compreender…

Details

Presidencialismo de coalizão: hora de rever algumas convicções?

Dois artigos sobre política no Brasil publicados na imprensa me chamaram a atenção na semana passada. Foram escritos por Rafael Cortez (Estadão 06/08, aqui) e Marcus Melo (Valor 08/08, aqui, para assinantes ou cadastrados), cientistas políticos de boa – e justa – reputação acadêmica (Lattes respectivos aqui e aqui). Curiosamente, nem resvalam no mais importante…

Details

Economia comportamental no mercado de carros usados

Não é incomum observarmos preços terminando em 99 centavos — por exemplo, R$15,99 ao invés de R$16,00. Bruno Giovannetti escreveu um post há algum tempo, levantando esse ponto para o preço do combustível (que em geral tem mais um dígito, como R$2,899). Uma explicação comportamental para isso é que as pessoas prestam mais atenção nos…

Details