Neymar e a produtividade brasileira

As diferenças de produtividade entre países são gigantescas. Isto é, com uma mesma quantidade de insumo, países ricos geram muito mais produto que países pobres. Mas o que está por trás disso? Uma possibilidade é que as quantidades observadas de insumo não reflitam exatamente as quantidades efetivamente empregadas na produção. Por exemplo, nos países ricos,…

Details

Pobreza e escola pública: o pesadelo de Einstein

Economistas da área de desenvolvimento sempre foram fascinados pelo que chamam de “armadilha da pobreza” — um círculo vicioso que condena economias a persistirem no subdesenvolvimento. Há todo uma família de modelos econômicos tentando reproduzir esse tipo de dinâmica perversa. Os mecanismos são os mais variados: falta de crédito, escassez de oportunidades de diversificação de…

Details

Onde fui roubado

Vale a pena conferir o site: http://www.ondefuiroubado.com.br/ Nele, as pessoas podem informar que foram roubadas e fornecer detalhes do roubo, como localização exata, tipo de crime e objetos roubados (incluindo uma estimativa do valor dos mesmos). Essas informações podem ser úteis para complementar os dados oficiais, pois várias pessoas deixam de reportar crimes por acreditarem…

Details

Disputa de pênaltis II: estratégias mistas

No post anterior discuti o trabalho de José Apesteguia e Ignacio Palacios-Huerta sobre a vantagem da equipe que inicia uma disputa de pênaltis. Na verdade, sobre esse mesmo tópico tem um paper mais antigo, porém bem mais interessante, de autoria de Pierre Chiappori, Steven Levitt e Tim Groseclose (AER, 2002). A ideia é usar pênaltis para testar equilíbrios em estratégias…

Details

Drogas: proibir ou não proibir? O que é melhor?

O consumo de drogas tem efeitos perversos: devastam a saúde física e mental de seus usuários, diminuem a produtividade e frequentemente levam ao desemprego, degradam a vida social dos usuários e causam sofrimento nas pessoas próximas e até em terceiros. Mas a proibição do consumo, venda e produção de drogas — política comum na vasta…

Details

A Mediocridade é Possível

Há uma percepção geral no país que o ano de 2015 será um ano de duros ajustes na economia brasileira. Esta percepção vem do fato óbvio e inegável de que o Brasil precisa destes ajustes. Entretanto, entre precisar e implementar há uma grande distância e nada indica que que as reformas aparentemente necessárias serão feitas.…

Details

Rodízio vs pedágio urbano

Na semana passada, Samuel Pessôa publicou um excelente artigo na Folha, discutindo possíveis efeitos de diferentes políticas públicas (notadamente rodízio e pedágio urbano) no trânsito de São Paulo. Vale a pena dar uma olhada não só pela discussão profunda, mas também porque tem muita Economia lá. Em um ponto concordo com o Samuel: rodízio não é uma…

Details

A economia das figurinhas – parte 2

Há algumas semanas escrevi um post sobre o assunto. Entre outras coisas, discuti meio por cima como o tamanho do mercado (isto é, número de pessoas trocando figurinhas) afeta a chance de completar o álbum, e a demanda por figurinhas. Recentemente, The Economist publicou um artigo muito legal sobre o tema, que me motivou a elaborar um pouco…

Details

O capitalismo gera desigualdade? Uma crítica teórica ao livro do Piketty

Para quem queria uma avaliação mais “teorético-formal” do modelo econômica subjacente às ideias do Piketty em seu livro “Capital in the 21st century”,  veja nesse link aqui a excelente crítica de Per Krusell (Stockolm University) e Tony Smith (Yale University). Trechos abaixo: Thomas Piketty’s recent book Capital in the Twenty-First Century is a timely and…

Details

Regras vs Discrição no Orçamento da USP

A USP é uma instituição antiga e bem burocrática: comissões, congregações, conselhos, colegiados, ad-referendum… A gente acaba aprendendo um novo vocabulário quando começa a participar de trabalhos administrativos por aqui. É tudo demorado e requer aprovações em múltiplas instâncias. Isso sem falar nos processos em papel. Difícil defender mais engessamento na USP. Mas é justamente…

Details

“Privatização dos Presídios”: theory

BG said to be in favor of PPP for prisons in his post, because of government’s scarce resources. He didnt touch on the most important issue, though. And, by the way, the lack of revenues argument is actually wrong since resources spent on prisons are resources non-spent elsewhere always, independently from the identity of the…

Details